Até que ponto o sexo é importante em um relacionamento?

A esperança é de que, no futuro, o amor possa ser resgatado nas relações sexuais. A chama é a parte mais sutil do fogo, e se eleva em figura piramidal. O fogo original e primordial, a sexualidade, levanta a chama vermelha do erotismo, e esta, por sua vez, sustenta outra chama, azul e trêmula: a do amor. Os direitos individuais eram mínimos, preponderando os interesses da comunidade em detrimento das necessidades do indivíduo, em particular as afetivas. Em outras, o relacionamento sexual entre jovens somente era proibido quando eles se apaixonavam. O objetivo principal do casamento era formar uma família, que passa a ser valorizada social e politicamente, cabendo à mulher as tarefas de atender ao marido, cuidar da casa e criar os filhos. Todavia, no apogeu do Império Romano, como retrataram muitos filmes, houve um incremento da sensualidade, mas restrito às relações extraconjugais. Com a decadência do Império Romano, que alguns autores relacionam com esses anos de frénésie, nasceu o cristianismo, que se insurgiu veementemente contra o prazer, sobretudo o prazer sexual, e estabeleceu uma arrasadora dicotomia entre o amor e o sexo no casamento, atribuindo a origem do primeiro a Deus e, do segundo, ao diabo. Nesse novo contexto social, a felicidade, antes uma benesse da Igreja somente atingível no céu, transformou-se em um bem secular que podia ser almejado aqui mesmo na terra.

Jovem procura maduro 832171

Notícias relacionadas

Algumas outras, que a frequência do sexo torna o casal mais afetivo no dia a dia. E você, o que pensa disso? Pois é, nem todos. Também é verdade que o modo de encarar a sexualidade mudança com o passar dos anos. Jovens casais fazem sexo sempre, casais restante velhos e com mais tempo de relacionamento tendem a diminuir a frequência e a valorizar a qualidade das relações sexuais. Vamos conhecer cada um deles?

Leave a Reply

Your email address will not be published.*